Iniciativa desenvolvida pela Criatura é publicada em livro internacional sobre Design Distribuído

Iniciativa desenvolvida pela Criatura é publicada em livro internacional sobre Design Distribuído

As ações empreendidas pela Casa Criatura no combate ao COVID-19 foram reconhecidas e publicadas no livro Viral Design, uma iniciativa da Distributed Design Platform, apoiada pela União Europeia. O pré-lançamento do livro aconteceu no evento DOTS2020, ocorrido na segunda semana de dezembro.

Na segunda semana de dezembro aconteceu o DOTS2020, evento online produzido pela organização internacional Global Innovation Gathering(GIG). A ONG reúne uma comunidade vibrante e diversa de centros de inovação, makerspaces, hackerspaces, outros espaços e iniciativas comunitárias de inovação de base, além de aproximar pessoas ligadas ao tema de inovação como criadoras, tecnólogas e agentes de mudança (changemakers).

A edição do DOTS deste ano foi marcada por uma série de debates e workshops onlines, dos quais houve o pré-lançamento do livro Viral Design, uma iniciativa da Distributed Design Market Platform (DDMP), cujo projeto é financiado pelo fundo Creative Europe, da União Europeia. A DDMP atua como uma rede e centro de intercâmbio para o movimento maker europeu. Até o momento, esta rede reúne 12 instituições parceiras como o festival de Cultura Digital chamado  Re:publica (DE), Institute for Advanced Architecture of Catalonia (ES) e a Polifactory (IT), dentre outras iniciativas na área. A DDPM visa desenvolver e promover um trabalho de aproximação entre designers, makers (fabricantes) e o mercado. 

Viral Design, um conceito criado pelo italiano Enrico Bassi, da FabLab OpenDot:

A cada crise, há uma oportunidade de repensar o status quo. A pandemia COVID-19 colocou os princípios do Design Distribuído à prova, cujos resultados podem ser conferidos no livro organizado pela Distributed Design Platform.

A publicação é a terceira de uma série de quatro livros desenvolvidos pela organização, com  co-financiamento do programa Creative Europe. O Design Distribuído permite que criativos, designers, makers (fabricantes) e inovadores participem da criação de um novo modelo de produção e consumo, em que “os bits viajam globalmente, enquanto os átomos permanecem localmente”.

O título do livro foi baseado no artigo de Enrico Bassi, diretor do FabLab OpenDot, de Milão (IT), cuja organização é membro da DDMP. O nome “Viral Design” foi inspirado pelo recente fenômeno que qualificou a rápida mobilização de designers e makers durante a crise em saúde. À medida que o vírus se espalhava, também se organizavam, com grande velocidade, iniciativas e laboratórios de fabricação digital (FabLabs) para projetar, produzir e distribuir Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), em um movimento mundial. Daí o título ‘Design Viral’.

A terceira edição apresenta como tema o compartilhamento das experiências  sobre como designers e makers, de várias partes do planeta, reagiram à crise do COVID-19. Reflete como foi o impacto da disseminação de conhecimento entre os laboratórios de fabricação digital e o que isto modificou para o campo do Design Distribuído. Para tanto, a Distributed Design Platform buscou coletar informações não apenas das iniciativas europeias, mas buscou referências de espaços e laboratórios de inovação situados na América Latina, América do Norte, África e Ásia. 

O livro reúne 27 contribuições de 18 países. Alguns artigos são reflexões pessoais, escritos por vários autores, enquanto outros são mais acadêmicos. A obra foi escrita de maneira distribuída durante a pandemia, incorporando os conceitos e discutindo a prática social e sociológica do Design Distribuído. O trabalho foi organizado em oito capítulos: Contexto e Introdução (1); Colaboração e Maneiras de Trabalhar com Instituições (2); Equipamentos de Proteção Individual e outras ferramentas de proteção (3); Controle de Qualidade, Certificação do Design, Copyrights e Patentes (4); Cadeia de Suprimentos e Materiais (5); Organização, Desenvolvimento e Distribuição (6); A Vida em Tempos de Covid-19 (7) e Conclusão (8). O trabalho desenvolvido pela Casa Criatura é uma das iniciativas apontadas pela publicação, ao lado dos projetos desenvolvidos pelo FabLab Barcelona, Science Camp do Iraque; Batch.Works, do Reino Unido; Makers Asylum, da Índia; e a Prusa, da República Tcheca. 

O livro pode ser lido e baixado gratuitamente neste link.

A Casa Criatura integra uma rede internacional de inovação tecnológica baseada em conhecimento de código aberto 

Em fevereiro deste ano aconteceu o Careables Latin America, cujas discussões foram realizadas na Casa Criatura. O encontro serviu para aproximar iniciativas de tecnologia de código aberto e inovação focada no cuidado e bem-estar. Foram convidadas para o evento membros da GIG, com Ricardo Ruiz e Georgia Nicolau como convidadas, que no encontro falaram sobre a iniciativa Careables, como funcionava o consórcio internacional, quais as metodologias e kits de ferramentas utilizados pela rede, além de discutir sobre os protótipos e resultados esperados pela iniciativa. O encontro absorveu diferentes percepções locais e levantou o debate sobre o cuidado com a saúde e o bem-estar, por meio da manufatura compartilhada e da fabricação digital. Daquele primeiro encontro, firmou-se uma parceria para continuar o debate e prototipação de ideias, que ocorreriam em reuniões semanais. 

O período de conversas para prototipação não demorou muito. E uma boa parte das ideias passou a ser colocada em prática no mês de março, com as primeiras medidas de isolamento, decretadas pelo estado de calamidade pública. A Casa Criatura recebeu o apoio direto da Careables para a  fabricação e distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Uma parte desta produção foi destinada para doação, como a Secretaria de Saúde Olinda e algumas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), e outra parte foi vendida a baixo custo para comunidade local e os setores do comércio, de modo a sustentar as pessoas e a manter a infra-estrutura da Casa Criatura durante estes meses.

Desde então, a Casa Criatura  acumulou parcerias e projetos para atender às necessidades de cuidado e proteção exigidos pelo momento de crise em saúde e tem buscado desenvolver iniciativas na área de fabricação digital. Em maio, a Casa inscreveu e aprovou o projeto Casa Criatura Careables no Programa de Apoio a Pesquisas de Código Aberto da Mozilla (Mozilla Open Source Support Program – MOSS, em Inglês). O desafio consistia em criar um modelo Open Source de Aerosol Box circular e também distribuir cerca de 7000 protetores faciais. 

O trabalho desenvolvido pela Casa Criatura na fabricação  de EPIs está descrito no capítulo três do livro Viral Design, na subseção “resposta local, necessidades globais” ou local responses, global needs. O texto destaca a cooperação firmada entre a Criatura e a Careables e fala da iniciativa que a levou ao desenvolvimento de máscaras de proteção em acrílico, que posteriormente foram doadas a profissionais do setor de saúde de Olinda, Caruaru e Recife; além de doações para ONGs do Movimento Sem Terra e às distritais de saúde indígena dos estados de Pernambuco, Bahia, Paraíba e Amazonas. Os EPIs foram transportados para outros estados do Brasil, graças ao apoio da Força Aérea Brasileira. Os equipamentos de proteção criados pela Criatura são open-source (código aberto), ou seja, qualquer usuário ou usuária pode acessar este conteúdo aqui no site e fazer o download da peça para construir a sua própria máscara. As peças também estão disponíveis à venda.

Sobre Careables

Careables é uma iniciativa aberta e inclusiva de assistência em saúde para cidadãos, com base na fabricação digital, fabricação distribuída e produção colaborativa

A plataforma visa distribuir cuidados de saúde, através da fabricação digital e inovação tecnológica de código aberto e inclusiva aos cidadãos. A ação surge como resultado da Made4you, um projeto financiado pelo Horizonte 2020 e desenvolvido por diferentes parceiros. A Made4You identificou como os sistemas de saúde existentes ainda não têm sido capazes de cobrir algumas áreas de necessidade, oferecendo principalmente produtos ou serviços padronizados, muito caros ou de difícil adaptação às necessidades das pessoas. 

Neste sentido, o projeto buscou reunir iniciativas para construir soluções acessíveis, adaptáveis ​​e compartilháveis, por meio das tecnologias digitais, como impressoras 3D e cortadores a laser, para atender a diferentes necessidades de saúde, como às pessoas com deficiências permanentes ou temporárias. Para saber de mais  informações da Careables, acesse: https://www.careables.org/

PortugueseArabicSwahiliChinese (Simplified)SpanishEnglish