A aerosol box da Criatura passa por validação de equipe médica

A pesquisa com prototipação de uma aerosol box para intubação dos enfermos da covid-19 passa por validação de equipe médica em Pernambuco

O protótipo da aerosol box  criado pela Casa Criatura segue para etapa de validação pela equipe médica local. Por meio do apoio da ação Moss Challenge Covid-19 (Desafio Mozilla contra a covid-19), promovido pela Fundação Mozilla, a Casa Criatura conseguiu desenvolver uma pesquisa que busca desenhar um modelo open source (código aberto) de caixa aerosol para pacientes com sintomas graves da covid-19, entre outras doenças respiratórias, que precisam ser intubados e ficar internados em Unidade de Terapia Intensiva de Saúde (UTI). 

O primeiro apoio local veio do Dr. Ubiracé Elihimas Jr,  médico nefrologista e intensivista do Hospital Agamenon Magalhães em Recife, que orientou a equipe do laboratório da Casa Criatura sobre os modelos existentes e relatou as necessidades da sua equipe médica na hora da intervenção com os pacientes que apresentaram sintomas de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), dentre elas a covid-19. A equipe da Casa Criatura criou um modelo com base nestas necessidades e apresentou o modelo para que outros profissionais de saúde avaliassem a aerosol box criada. 

Semana passada,  a equipe chegou ao posto do Serviço de Atendimento Médico de Emergência (SAMU) no Cabo de Santo Agostinho e conversou com o médico Alípio Agra. O Dr. Alipio é anestesista e coordenador médico do Samu do Cabo de Santo Agostinho. No começo do estado de emergência em saúde e da crise sanitária em Pernambuco, ele assumiu a função de direção em um dos hospitais de campanha montados para tratar dos pacientes em estado grave, contaminados pelo coronavírus. 

O médico, junto com a coordenadora de enfermagem Camilla Zoppi, também responsável pelo Samu do Cabo de Santo Agostinho, fizeram a simulação do uso da aerosol box com um boneco modelo.  Em entrevista, o médico elogiou o desenho da caixa proposta pela Criatura, ressaltou que o protótipo além de ergonômico também tinha uma estrutura leve, o que garantia mobilidade no manejo, caso fosse necessário fazer ajustes durante o procedimento da intubação orotraqueal. 

Durante o procedimento de intubação, usamos uma máscara N95, que é equivalente a uma faceshild (protetor facial em acrílico). Mas a gente (equipe médica) sempre tem medo ao intubar um paciente, pois o risco de contaminação é muito alto. Essa inovação chega em boa hora, pois vem para garantir uma maior segurança à quem está na linha de frente, em cuidado direto com o paciente

Entrevista com o Dr. Alípio Agra, no Núcleo de Ensino Permanente do SAMU do Cabo de Santo Agostinho. Imagens de Rostand Costa.

A pesquisa busca ainda a validação de outros médicos, principalmente anestesistas, que possuem experiência no campo de intubação orotraqueal.  A integração entre a área de design e medicina, que envolva também a equipe de enfermagem, é fundamental, reforça Dr. Alípio, que vê essa interação como relevante para prototipar um dispositivo adequado aos seus objetivos. 

O próximo passo é registrar a patente do dispositivo, validar o produto, lançar para comunidade médica e continuar o estudo com outros profissionais de saúde, principalmente os que atuam na UTI. O Samu do Cabo de Santo Agostinho se coloca como parceiro e apoiador da Casa Criatura nesta pesquisa. 

Doações de EPIs seguem para o interior

Nesta segunda-feira, 24, serão doados 1500 protetores faciais em acrílico (face shields) e duas caixas aerosol aos centros de saúde pública dos municípios do Agreste pernambucano. Dos 1.500 protetores faciais de acrílico, 300 unidades vão para Toritama, mais 300 unidades vão para Santa Cruz do Capibaribe e 900 protetores faciais vão para Caruaru, que também receberá duas caixas aerosol. Esta iniciativa conta com a parceria da organização Careables e é apoiada pela Fundação Mozilla.