Saúde indígena é um dos focos de apoio da ação Careables Casa Criatura

Casa Criatura realiza doações de equipamentos de proteção individual aos Distritos Sanitários Especiais Indígenas de Pernambuco, Potiguar e da Bahia

A ação Careables Casa Criatura é uma iniciativa que foi inscrita e aprovada no Programa de Apoio a Pesquisas de Código Aberto da Mozilla (Mozilla Open Source Support Program – MOSS), da Fundação Mozilla. O programa MOSS fomenta projetos e startups que atuam com ações de tecnologia de código aberto. Este ano, a edição do programa buscou apoiar iniciativas voltadas ao enfrentamento da epidemia do covi-19. A convocatória teve como inspiração a ação promovida pelo Centro de Saúde, Simulação e Aprendizado em Alta Tecnologia da Universidade da Flórida, nos Estados Unidos, que compartilhou o seu processo inventivo de um ventilador criado para pacientes que estavam enfrentando a doença em UTIs.  

O trabalho de fabricação digital com foco em saúde foi iniciado em março deste ano. Estimulado pelo desafio de lidar com a emergência sanitária em Pernambuco,  o objetivo inicial foi atender a demanda local de equipamentos de proteção individual. A Casa Criatura priorizou o trabalho de fabricação das face shields ou protetores faciais em acrílico e conseguiu produzir, até o momento,  4.000 protetores faciais, dos quais mais de 1500 peças foram doadas e destinadas a profissionais de saúde e organizações beneficentes.

O recurso disponibilizado pelo programa de apoio da Fundação Mozilla permitiu à Criatura desenvolver uma pesquisa voltada à criação de uma aerosol box para as Unidades de Terapia Intensiva de Saúde (o estudo está em fase de prototipação), além de possibilitar a fabricação de mais face shields. Uma parte desta produção será destinada aos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs). Os DSEIs são unidades gestoras descentralizadas do Subsistema de Atenção à Saúde Indígena (SasiSUS). No Brasil, são 34 DSEIs divididos estrategicamente por critérios territoriais e não, necessariamente, por estados. Têm como base a ocupação geográfica das comunidades indígenas. (Fonte Instituto Ovidio Machado

Ricardo Ruiz, membro do Conselho Supervisor da Global Innovation Gathering, uma das organizações parceiras da Casa Criatura, aponta que desde a primeira ocupação européia em solo brasileiro, que os indígenas foram dizimados e continuam a sofrer pelas doenças transmitidas pelo contato forçado da colonização. Segundo a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), os povos indígenas são os mais vulneráveis a viroses, especialmente a infecções respiratórias como a covid-19. As doenças do tipo respiratória ainda são a principal causa de mortalidade infantil entre os indígenas. O Ministério Público Federal (MPF) avalia que o risco de genocídio indígena provocada pelo contágio do coronavírus é alta. O MPF construiu uma série de recomendações destinadas ao poder público e, junto com as organizações indígenas, exige que os territórios indígenas tenham uma atenção especial nesse momento, de modo a preservar a existência dos povos originários.

Com essa preocupação que a Casa Criatura destinou 500 protetores faciais para a Distrital de Saúde Indígena de Pernambuco e 300 para a Distrital Potiguar, que atende os estados do Rio Grande do Norte e da Paraíba. A Casa Criatura prevê ainda a doação de mais 500 face shields para a DSEI da Bahia.

Essa ação também contou com o apoio da Cadus, Makerspace de Respotas à Crises, com sede em Berlim, que visa atacar a inequalidade no suporte à saúde, e do Projeto Face Shield Nova Friburgo, que reúne instituições como a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), a Universidade Federal Fluminense e a empresa 3D. Juntas doaram as hastes para a montagem dos protetores faciais destinados a esta ação.